quinta-feira, 30 de setembro de 2010

A(gosto) de deus

Trecho do texto "Dois", de Marcelo Flecha

A Pequena Companhia de Teatro foi convidada para participar do Festival Agosto de Teatro, em Natal, promovido pelo governo do estado do Rio Grande de Norte. A atividade está meio controversa, pois alguns grupos de Natal não tiveram suas inscrições aceitas, e alguns de fora do estado foram/estão sendo convidados. Outros potiguares não foram selecionados. Notícias correm. E gente de teatro conhece gente de teatro. 

Estou lendo a boneca do livro que Marcelo F. irá publicar através do edital BNB/BNDES de Cultura. "Dois" é um texto que fará parte do livro. Trata de dois atores que põem em xeque o seu fazer. Num desses questionamentos, eles analisam a inexistência de público, o desinteresse deles pelas escolhas da dupla. 

Quanto tempo faz que não me apresento, não ensaio, não estou em processo de montagem? A sensação é de 5 vidas e 2 dissabores. 

O convite para a apresentação caiu como um unguento na ferida pútrida. Sensação de desconforto com as animosidades dos outros? Onde não há política ou politicagem? Qual a postura de quem é e de quem está? E esse público interessado, existe? E a participação dele nesse jogo de interesses? Sinto saudades da minha ingenuidade e ignorância. Vou sugerir aos amigos de Natal um protesto idêntico ao que fizeram em Presidente Prudente (quer saber mais, clique aqui).

Sinto-me capaz, neste instante, de fazer meu ofício, posicionar-me politicamente fazendo meu discurso, no palco, enquanto ator. Meu público é aquele que me assiste, aqui ou lá. Vamos com fé. Ficamos a pé eu e meu umbigo.

Um comentário:

diariodoandre disse...

Marcelo, aguardo com ansiedade o lançamento do livro. Abraços