segunda-feira, 5 de julho de 2010

Procurados

Vocês já pararam para se perguntar por que só Cláudio e eu postamos neste blog? Notaram que Jorge e Katia (ator e produtora da companhia) não postam? Faço esta pergunta por quê? Porque quero saber o porquê.

Nessa infeliz rotina de escrever para ninguém – tendo em vista que o caro leitor é um mero fantasma que finge estar presente em algum momento posterior ao ato de escrever – não conseguimos nem a solidariedade dos nossos pares. Os reticentes companheiros nos largam solitários no limbo do mundo virtual e seus seguidores mais virtuais ainda – aqueles amigos que só clicam “seguir” para se livrar da minha cobrança quando encontro com eles. Ainda em Entre Laços, foi Jorge que me convenceu da necessidade de estabelecer um diálogo direto com nossos espectadores/leitores e o quanto “esse tal de blog” (na época um verdadeiro E.T. para mim) era um mecanismo moderno e interessante. Katia, a mais fiel das leitoras obrigadas, já fica modorrenta no domingo – dia anterior ao meu dia de postagem. Cabe a você, leitor de Canterville, gerar pressão nos outros membros da companhia através da frequente quantidade de comentários e e-mails que mandam, para que o gelo destes seres se derreta, e vocês possam passar a usufruir das suas inéditas opiniões (risos gerais para todo este parágrafo).

Segue, abaixo, as fotos dos procurados:


Em Balsas, na apresentação de Pai & Filho, um espectador adulto disse que seguiu a orientação da mãe e compareceu. Nunca havia visto um espetáculo teatral. Surpreso, depôs que a apresentação gerara nele uma satisfação tamanha que agradeceu à mãe por estar ali, naquele momento, presenciando o que viu. Morei parte da minha vida em Balsas, sei muito bem o que é não ter teatro para ver... nem cinema... nem ...

2 comentários:

Luciana Duarte disse...

Ei, bonito! Que historinha é essa de "aqueles amigos" só seguem por obrigaçaõ? Sua cobrança é e sempre será muito importante, você sabe que nos alimenta, nos revigora... amamos todos as dores...dores de saudade, dores na hora de escrever é muito difícil (ET para mim, ainda), dores da sala de ensaio, dores pela distância...Já chega já estou ficando com dores (rsrsrsrsrsrsrs) ADORO!

dionisíacas disse...

algumas palavras precisam ser ditas.
registradas.
e de que são?
para onde vão?
que cargas transportam?
é como um diário sem segredo que ninguém lê.
Talvez o segredo esteja aí.
"Porque tem palavra que não é de dizer".