terça-feira, 10 de agosto de 2010

Esquizofrenia

Leram a postagem intitulada Davi e Golias? Quem escreveu aquilo é um careta tentando justificar sua covardia! O artista deve e deverá sempre ir para o enfrentamento independentemente das consequências. Pobre do artista que tem que ficar se justificando para esconder sua acomodação. Digo para vocês, não confiem num homem que tem por nome Henrique sem H. Falar de netos, shopping, natal? Que conversa é essa? Se fosse desse jeito nunca haveria existido uma revolução. Pode até haver algo de nobre quando ele recusa cargos ou contratos para ser coerente com seu discurso, mas é pouco. Mudar a forma de resistência é até bonito, mas é burocrático! É com esse discursinho brando que ele pretende mudar o mundo? Ação e verbo caminham juntos. Ele fala de silêncio e fica choramingando seu destino com um monte de futilidades. Conta de telefone? Colégio? Me poupe! Se não tem peito para ser artista vire funcionário público! Saramago tinha contas para pagar mas nunca amoleceu, pelo contrário, manteve seu discurso e sua prática até a morte. Dizer que podem até botar cabresto mas que a peleja será grande? Jamais! Cabresto é para cavalo. O que esse “caboco” precisa é de um belo coice para acordar!

3 comentários:

dionisíacas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dionisíacas disse...

ouve a música:
um bar
como outro qualquer,
na esquina de qualquer cidade.
Uma mesa
dois copos cheios.
Varias cervejas.
Não. Melhor!
Duas lindas taças
cheias do melhor vinho do mundo!
Dois artistas sóbrios
a embriagar-se sobre as coisas do mundo.
Vai! Acende teu cigarro!
Onde há fumaça deve haver um pouco de fogo!
ele diz: eu sou o mundo e faço parte de uma realidade que escorrega enquanto tento te segurar!
Tenho um presente esperando ser preenchido por sonhos que não agüento mais sonhar.
O outro deixa as palavras escorrerem soltas pela boca.
Sentados no mesmo lugar
será que falam do mesmo sonho?
Diante da mesma vida
será que sentem os mesmos impropérios?
A sede será a mesma?
Um pensa que pensa sobre si e o mundo.
O outro diante de si está no mundo.
A vida diante do mundo escorrega na calçada.
quem vai beber até o ultimo gole de consciência e gritar: Viva o fim da lucidez!?!
Se eu fosse eu...
Se eu fosse eu...
se eu fosse eu!
meras palavras.
Puro discurso.
Puro delírio.
Dezessete é o mais feliz dos anos.
Aos dezessete por três vezes eu pensei em me matar.
E por, três vezes, eu me agarrei, furioso, a fúria da vida.
Dezessete é o mais louco dos anos.
homem é o que luta!
homem é o que aplaina!
Homem é aquele que dá sentido ao caos!
Não o que se resigna!
Não o que se deixa enlouquecer!
Nasce gritando,
faz sua história a ferro, desafia o infinito,
se revolta até o ultimo gesto e blasfema até o ultimo grito!
De quem são essas palavras já tanto ouvidas?
A noite mais uma vez acabou.
O encontro que aconteceu ficou.
ali
parado
morto.
Cada um voltou para casa
para a vida de sempre.
O dia atravessou a noite de ontem.
E aqueles que um dia se encontraram nunca mais se viram.

XICO CRUZ disse...

Ser duro consigo mesmo! Vejo isso positivo e necessário, as vezes as pessoas não gostam muito de dizer na nossa "lata" as verdades que merecemos, sejamos criticos com nossa própria construção. sejamos firmes e banais as vezes... Beijos de quem te admira pra caralho.
xico