sábado, 30 de abril de 2016

Caminhando



No próximo domingo faremos a primeira apresentação de Velhos caem do céu como canivetes pelo projeto SESC Amazônia das Artes, aqui em São Luís, na sede da Pequena Companhia de Teatro, com entrada franca.
A partir daí iniciaremos uma nova caminhada, por toda a Amazônia Legal e o Piauí, em duas etapas, sendo a primeira Palmas/TO, Ji Paraná/RO, Boa Vista/RR e Rio Branco/AC, de 11 a 19 de maio.
O que move um grupo de teatro é o caminhar. Um caminhar no espaço, mas também no tempo. Assim como a Pequena Companha de Teatro tem caminhado por todo o Brasil, levando seu repertório para os mais diversos públicos, caminhou também no tempo que compreende uma década, para entender que suas conquistas são frutos desses dois deslocamentos – o temporal e o espacial.
A pulsação do viajar desorganiza, tira o artista da zona de conforto, desburocratiza, rompe as estruturas, subverte a lógica, nos surpreende com o caos. Por mais precavido que o coletivo seja, é na viagem que se revelam as rusgas, as falhas, os perrengues, as mágoas; trazendo para a berlinda tudo aquilo que o conforto do lar camufla.
Também com a viagem vem a partilha, o tratar generoso, a comunhão do olhar sobre o problema exposto, as soluções escalafobéticas, a certeza de que se está no caminho certo, quando esse caminho nos leva para aquele ponto do planeta em que só o teatro nos faria chegar. Aquele lugar onde o público, que não faz a menor ideia de quem você seja, lhe mostra a importância do que você faz, provando que, no teatro, caminhar é fazer.
Caminhar é fazer escolhas, buscar rumos, trajetos, destinos, encontrar bifurcações, rodar em círculos, passar do ponto, errar a rota, descarrilar, mas manter-se em deslocamento, sempre, para sentir-se vivo, mesmo quando a inércia, essa sedutora contumaz, oferece o acachapante conforto da quietude, nos convencendo de que não adianta mais tentar avançar.
Como diria o poeta Antonio Machado: “Caminante, son tus huellas el camino, y nada más; caminante, no hay camino, se hace camino al andar. Al andar se hace camino, y al volver la vista atrás se ve la senda que nunca se ha de volver a pisar. Caminante no hay camino, sino estelas en la mar.” Caminhemos!
 

20 comentários:

Luciana Duarte disse...

Zona de conforto como é bom violar! Precisamos do desequilíbrio pra nos encontrarmos e aos nossos. Caminhemos!

Marcelo Flecha disse...

Minha princesa! Suas palavras por aqui são sempre tão bem-vindas! Saudades!!

Mônica Danuta disse...

Um belo texto. Obrigada por compartilhar seus ensinamentos e experiências sobre esse caminhar.

Mônica Danuta disse...

Um belo texto. Obrigada por compartilhar seus ensinamentos e experiências sobre esse caminhar.

Marcelo Flecha disse...

Obrigado, Monica! Apareça mais por aqui!

Bárbara Paiva disse...

Assim como caminhamos em "pernas de banco", caminhemos com todo equilíbrio desequilibrado, com todos os riscos de queda mas sempre em passos firmes. Caminhemos pois!!!

Marcelo Flecha disse...

Que assim seja, Bárbara! E caminhe por aqui, tambem!

JeyzonLeonardo disse...

Eu tenho minhas loucuras.

Marcelo Flecha disse...

Pois, sim! Comentários da família toda, só faltaram as pequeninhas!

Marcelo Flecha disse...

* pequeninas, também, Mônica.

Desertos disse...

Bom saber que a Pequena Cia vai passear por terras tão queridas! Este projeto é um dos mais lindos do SESC! Os encontros serão lindos tenho certeza! Deslocar-se é perder-se e perder-se "também é caminho" como disse Lispector! Que vocês se percam lindamente! Beijo com gosto de boa sorte é que Dioniso esteja a espreitar ! ��������

Audevan Caiçara disse...

Desde que vi Pai e Filho babei pela dramaturgia. Quero muito. Pena que sou Bahia. Mas irei aí com o Palco Giratório. Guarde meu exemplar...para dar ou para vender...

Audevan Caiçara disse...

Desde que vi Pai e Filho babei pela dramaturgia. Quero muito. Pena que sou Bahia. Mas irei aí com o Palco Giratório. Guarde meu exemplar...para dar ou para vender...

Cláudio Marconcine disse...

Este comentário merece um livro. Vamos ver se vc é legalista. Ou vaia de bêbado não vale?

Marcelo Flecha disse...

Resultado do sorteio promovido no Face: Flávia Teixeira, Audevan Caiçara e Claudio Marconcine.

Antonys Santos disse...

Alguém pode me dizer onde fica a sede da companhia. Por gentileza?

Antonys Santos disse...

Alguém pode me dizer onde fica a sede da companhia. Por gentileza?

Marcelo Flecha disse...

Rua do Giz, 295, Centro. São Luís/MA

amandagraciele disse...

Olá, Marcelo! Primeiramente quero parabenizá -los pelo excelente e belíssimo espetáculo. Sou Amanda e os assisti aqui no SESC Acre.
Fiquei encantada com tudo, inclusive com a dramaturgia. Até te perguntei como faria para ter acesso. Você pode me passar? Gostaria de ler e processar melhor as problemáticas e poesia encontradas no texto. Um abraço.

amandagraciele disse...

Meu email para contato: amanditagraciele@gmail.com