quinta-feira, 4 de março de 2010

A respiração no ator como fluxo de energia

Por anos, a compreensão e/ou a sistematização dos conhecimentos teatrais, enquanto técnica de interpretação, separava a voz do corpo do ator, mesmo porque o ator, em dado momento da história, era exclusivamente um leitor, que seguia à risca, os textos elaborados pelos dramaturgos de gabinete.

Nesse caso, a técnica vocal deveria contemplar o que lhe era exigido: dicção, cadência, afinação, volume, altura, potência, timbre, coloração, pois que o próprio canto coral na tragédia grega assim o requeria.

Entretanto, mudanças consideráveis acerca do teatro foram ocorrendo: os dramaturgos deixaram seus gabinetes e voltaram-se à cena; o ator ocupou o seu espaço; o oriente começou a interferir no modo de fazer teatral do ocidente. Com isso, a voz torna-se “um prolongamento do corpo” (BURNIER, 2001) e, em sendo, o corpo que se projeta, que age, necessita de energia; um corpo energético, absorvido por práticas teatrais do oriente; energia como “capacidade de produzir; firmeza; força” (BUENO, 2002). Então, nossa voz provém de “uma tensão dialética entre o corpo e texto” (PAVIS, 1999), e como energia, ela só se efetiva a partir do tencionamento de sua natureza dupla: anima e animus (BARBA, SAVARESE, 1995). 

Animus

Enquanto “anima é uma energia suave, animus é uma energia vigorosa” (BARBA, SAVARESE, 1995). Em Artaud, essas energias repercutem na respiração e em “ANDRÓGINO (...) MACHO (...) FÊMEA” (ARTAUD, 1985).

A ação vocal não se relaciona, exclusivamente, com as palavras: “A ação vocal é o texto da voz e não das palavras”, diz Burnier.

Essa afirmativa sugere uma multiplicidade de ações em uma mesma palavra: verbalizar refresco de forma ríspida, agressiva, doce, carinhosa, silabada, por exemplo. A emissão tem que estar “em acordo com a ação cênica e não uma voz apenas dramatizada” (GAYOTTO, 1997).

As múltiplas ações de uma palavra estabelece-se mediante: a entonação, quando “diz respeito tanto ao enunciado quanto à enunciação, tanto ao sentido do texto quanto àquele do trabalho do ator, tanto à semântica quanto à pragmática” (PAVIS, 1999); a teatralização, quando evita os “efeitos de naturalidade, de psicologia ou de expressividade” (PAVIS, 1999), e mostra “claramente a localização da fala no corpo e sua enunciação como um gesto que estira o corpo inteiro” (PAVIS, 1999); a materialidade, quando corporifica no ator, seu ritmo, o discurso no espaço, a “polifonia das falas” (PAVIS, 1999); a análise, quando levanta “efeitos de velocidade ou de lentidão, a freqüência, a duração da função das pausas” (PAVIS, 1999).

Quando tratamos de emissão, estamos falando de energias que potencializadas por músculos, cartilagens e nervos, exercem a respiração. Desta feita, a ação vocal tem em si a respiração como energia potencial da ação.

Anima

Essas energias são perceptíveis, para o espectador, no ator. Caso contrário, o ator não desprende energia o suficiente para tal. No ocidente, chamamos essa energia de vida ou presença do ator. No oriente, há expressões como “prana ou shakti na Índia; koshi, ki-hai e yugen no Japão; chikara, taxu e bayu em Bali; kung-fu na China” (BARBA, SAVARESE, 1995).

As energias são ativas quando são acionadas; oscilam entre a energia animus e anima. É essa alternância de energias que fará com que o ator tenha vida no palco. Como essa manipulação de energias permite “a muitos atores fascinar e surpreender por contradizer o comportamento social estereotipado homem-mulher” (BARBA, SAVARESE, 1995), o corpo dilata e torna-se extracotidiano.

ARTAUD (1985), em seu Teatro da Crueldade, redesenha essas energias em 03 (três) tempos — Andrógino, Macho e Fêmea — e em 06 (seis) arcanos principais: equilibrado e neutro no andrógino; expansivo e positivo no macho; atrativo e negativo na fêmea, o que confirma a posição de COELHO (1994) quando diz que “o movimento correto do pulmão para a boa respiração vocal precisa ser tridimensional e não apenas antero-posterior, como a maioria das pessoas sujeitas a muitas tensões realiza” (COELHO, 1994).

Fazendo uma analogia a ambos os autores, teremos o Quadro 1:


Com esses esquemas, podemos elaborar 06 (seis) combinações respiratórias possíveis, fazendo com que cada uma delas acompanhe 1 (um) sentimento específico, i. e., a respiração materializa o sentido da palavra, do texto. Tais materializações “requalificam a palavra” (BONFITTO, 2002). Segundo esse itinerário, “a respiração responde imediatamente aos estímulos externos ou internos” (CARVALHO FILHO,  2002), pois que “os seres humanos possuem padrões respiratórios básicos que variam de acordo com os diferentes estados emotivos” (CARVALHO FILHO, 2002), como a raiva, o medo, a alegria, visto que “a voz nasce do corpo para exprimir o que nele se passa” (CARVALHO FILHO, 2002), quando isso não ocorre, não há energia, não há vida.

Próspero e o inseto daninho

E quanto ao pai? Inominável? Carinhosamente alcunhado por Próspero, ele tem em si uma respiração contida, fêmea/atrativa/negativa/abdominal-intercostal que estrutura a personagem. Evidente que as mudanças de situação fazem com que essa respiração-energia module para outros esquemas.

Essa racionalização do fazer só me é possível a partir da prática da sala de ensaio. A gente não pensa a respiração. Ela acontece. O corpo age e reage a tudo. Quando ele quer ressoa, ele o faz. Quando não, se cala, emudece.

No trabalho pré-expressivo, o masculino e o feminino são trabalhados como antagônicos. Entretanto, essa energia proveniente da respiração está em todos os demais. Teatro é respiração.

O corpo é uno em si. Então, não só os sistemas e aparelhos estão interligados, como também temos impresso em nossa memória cerebral, emotiva e muscular, experiências múltiplas pelas quais passamos e experienciamos.

É essa multiplicidade de sentires num corpo elétrico, que nos faz aptos a manipular energia em uma ação vocal e física, de forma extracotidiana, na cena.

Essa manipulação de energias suaves ou vigorosas, variando o esquema — se torácico-clavicular, costa-diafragmático ou abdominal-intercostal — nos dá uma gama de possibilidades, de alternativas para expressar, de forma não interpretativa, o que buscamos.

14 comentários:

jeyzon leonardo disse...

Assim de primeira digo que gosto, gosto sim. do blog, da companhia, dos atores e do diretor. assim de primeira falo que estou com uma ponta de inveja e quero ver a estreia de pai com seus filhos/atores.
assim de cara, mando mil beijos e digo que volto logo, pra matar saudade e alimentar-me.

Valdiner Barros Costa disse...

Sou Valdiner acadêmico do curso de teatro da UFMA de Impertriz, amigo de Eró. Gostaria de prestigiar o espetáculo de vocês na sexta dia 11/06/2010. Vou com minha esposa Célia, meus amigos José e Cícera. Reserve nossos lugares. Assisti Entre Laços em São Luís. Aguardo um retorno de confirmação, abraços!

Anônimo disse...

Εxceptional pοѕt but I was wanting to
know if you cоuld ωritе a litte more on thіs subjeсt?
I'd be very thankful if you could elaborate a little bit more. Appreciate it!
Also see my webpage - v2 cigs reviews

Anônimo disse...

Βеcauѕе the аdmin of this web pаge іs wοrκing, no ԁoubt very quickly it wіll bе renowned, ԁue to its qualitу cоntеnts.


My page ... visit the up coming site

Anônimo disse...

I'm really enjoying the design and layout of your blog. It's a
vеry easу on thе eуes whісh maκеs it much mоre pleasant for me to сome here
and ѵiѕit more often. Dіԁ you
hіrе out a ԁesignеr to сreate your theme?
Fantastіc woгκ!

Αlso visit my weblog - aging skin care tips
My website :: Prweb.com

Anônimo disse...

Нello therе! Do you know if they makе any ρlugins to assіst with SEO?
I'm trying to get my blog to rank for some targeted keywords but I'm not seеing ѵеry good gains.

If you κnow οf аny pleаse shaгe.
Appreciate іt!

Loοk іnto my blog ρoѕt - http://www.sfgate.com
Also see my webpage: visit the next post

Anônimo disse...

What's up mates, its enormous piece of writing concerning educationand completely defined, keep it up all the time.

my web site; simply click the next website page

Anônimo disse...

My spоuѕe anԁ І ѕtumblеd oνеr
here coming from а different ωeb page аnd thought I mіght check things οut.

Ι like what I ѕеe ѕo i am ϳust
follοwing you. Look forward to finding οut about yοur web рage for a seconԁ timе.



Viѕit my ѕite: http://www.sathy.co.Nz/venettaz9

Anônimo disse...

Your reρort pгovides cоnfirmed helpful to us.
It’s quite eduсationаl and you're simply obviously quite educated in this region. You possess exposed our eyes to different opinion of this particular subject using interesting and solid content.

Look at my web site: ADIPEX
Feel free to surf my page : ADIPEX

Anônimo disse...

I haѵe been browsing online more than 4 hours today, yet I never found any interesting аrticlе likе yours.

It's pretty worth enough for me. In my opinion, if all webmasters and bloggers made good content as you did, the web will be much more useful than ever before.

Here is my page http://java.Csie.nctu.edu.tw/course/user/view.php?id=10882&course=1

Anônimo disse...

Ηaving read thіs I thought it waѕ really еnlіghtening.

I aρpreciate yοu taking the time anԁ energy to put
this artіclе together. I οnce аgaіn find myself рeгsonally spending a lοt
оf tіme both reading and leaѵing commentѕ.
But so what, it waѕ still worth it!

my hοmepage ... click the up coming web page

Anônimo disse...

There is totally no hassle; there are no other points to do aside from placing it about your waist.


Look into my weblog rgburton.com

Anônimo disse...

Helpful info. Fortunate me I found your site by chance, and I'm stunned why this accident didn't came about in advance!
I bookmarked it.

my site ... solarbetriebene teichpumpe

Anônimo disse...

Hi every one, here every person is sharing these knowledge, thus it's fastidious to read this web site, and I used to visit this website every day.

Also visit my website :: übersetzungstheorien eine einführung ()