domingo, 11 de dezembro de 2011

Sim, senhor!

Como o caro e assíduo leitor sabe, estamos caminhando para a próxima encenação da pequena. Em Santa Inês fizemos uma das reuniões sobre o assunto e tudo indica que a montagem será mesmo “Velhos Caem do Céu como Canivetes”, inspirada no conto “Um señor muy viejo com unas alas enormes”, de Gabriel García Márquez. No cardápio do nosso dizer, a discussão sobre as diferenças, a miséria, o exílio, a fé... Uma degustação temática. No meu caso, o fato é sempre conflituoso. Sempre que terminamos um espetáculo penso que minha criatividade esgotou. Meu lento raciocínio reforça o abismo e duvido da minha capacidade criadora. É a sensação da folha em branco. Penso que o todo criativo que possuía ficara depositado em Pai & Filho. Foi assim com O Acompanhamento, O Último Discurso, Medeia, O Santo Inquérito, Entrelaços, Ramanda e Rudá, Deus Danado, Marat-Sade... sempre foi assim (risos).
É uma angústia desafiadora. Um vazio fecundo. Uma ansiedade pacífica. Uma desorientação travosa. Uma dúvida ardida. Um deserto venturoso. Um auto-retrato sem rosto. Um rito de passagem assaz dolorido e assustador. Quando um fazer se esgota? Quem nos avisa? Como percebemos? Onde estaremos quando isso acontecer? O calendário de 2012 não nos permite fechar uma agenda de montagem, principalmente por causa do Palco Giratório e do projeto do SEBRAE, mas, certamente, estaremos em processo. Circunstancialmente mais lento do que o processo de Pai & Filho, contudo, em 2012 velhos cairão do céu como canivetes. Como será?

4 comentários:

O Festival disse...

Passei para dizer que te amo. Vai fundo. lápis e papel a mão....

Marcelo Flecha disse...

Queridíssimo Pellé, Saudades! Você demora aparecer, mas, quando aparece, arrasa meu coração (risos)! Apesar de sócio vitalício do Festluso (risos), não creio que "Velhos" chegue por aí para o ano, ainda... vê se não me abandona, sumido!

Giba disse...

Amigão, já estou ansioso para ver a nova 'viagem', o Gabriel, os temas como focos... é a fome com a vontade de comer. Assim que instalar o telefone entro em contato. Esse nosso silêncio obrigado está sendo insuportável. Beijão!

Marcelo Flecha disse...

Enquanto não vem o telefone, continua comentando aqui! rsrsrsrs Beijão, meu irmão!!