domingo, 24 de abril de 2011

Fim de FESTA

Como o sinal da internet não chegava ao quarto, não foi possível fazer o diário do Festival Santista de Teatro, como sempre fazermos neste blog. Então me dedico agora a trazer uma retrospectiva das nossas experiências por lá. O festival é promovido por um conjunto de artistas que, com muita garra, procuram realizar o evento, e manifesto aqui a importância da iniciativa e a compreensão quanto às dificuldades. A opinião que coloco a seguir é a título de colaboração e sugestão para o evento.O festival, assim como todos os festivais de que Pai & Filho participou até aqui, arcou com nossas despesas de transporte aéreo, transporte de carga, hospedagem, alimentação e cachê. Quanto à estrutura logística, confesso que fiquei um pouco decepcionado. A alimentação foi ruim e a hospedagem regular. Penso que não é de bom tom para um festival nacional continuar a hospedar seus participantes em alojamento, mesmo que este, assim como o de Guaramiranga, seja um espaço de retiro espiritual e de agradável permanência. Caso seja mantido deveriam ser melhoradas as instalações procurando aumentar o conforto. O deslocamento interno foi problemático, mesmo no dia da nossa apresentação, mas, sempre que acionada, a comissão manifestou-se eficiente, principalmente durante a montagem no Teatro Guarany (lindo), quando o espetáculo ameaçava ficar comprometido por falta do fechamento da caixa cênica. Tudo foi resolvido com competência.

O festival promoveu as Mostras Adulto, de Rua, Infantil e Paralela, além de diversas atividades outras. Durante a nossa permanência, conseguimos assistir a dois espetáculos adultos, um infantil e participar da mesa redonda “O impacto de grandes festivais na cultura local e na formação de público”, o que não me permite fazer uma avaliação quanto as mostras, mas posso destacar que Pai & Filho foi o único espetáculo fora de São Paulo da Mostra Adulto.

Destaco a mesa redonda e o sempre agradável encontro com o querido Marcelo Bones que esteve como curador da Mostra de Rua. Muito agradável também o quintal da Pagu, ponto de encontro noturno de todo o evento. Nossa montagem foi em palco italiano e o espetáculo adaptou-se bem. Boa apresentação, limpa, mas um pouco fria – a chegada definitiva de Cláudio em maio faz-se necessária.
O debate foi polêmico e um pouco tumultuado. O formato adotado pela curadoria da Mostra Adulto não me agradou. Diferentemente do que ouvi quanto a Mostra de Rua – onde o foco era estabelecer uma conversa sobre o processo de montagem – aqui o foco era realizar juízo de valor quanto às obras, criticando veemente algumas, inclusive a nossa, gerando uma reação natural daqueles que não concordavam com os pareceres, tornando o debate um tanto quanto agressivo. Penso que o teatro evoluiu, e esse formato ficou nos anos 80, envelhecido. Nossa experiência vem mostrando que o diálogo entre os diferentes fazeres tem sido o foco da grande maioria dos debates em festivais atuais e deverá permanecer assim para o amadurecimento do teatro contemporâneo.

No mais, a pequena continua se divertindo com o seu fazer e a experiência é sempre positiva. Como sempre, rimos muito!

5 comentários:

Cláudio Marconcine disse...

fria o $#@%&%& - risos.

FESTIVAL SANTISTA DE TEATRO disse...

Como Coordenador da Mostra de Teatro Adulto e em nome da Comissão do FESTA 53, agradecemos a participação da Pequena Cia de Teatro no Festival, e ressaltamos que esta participação elevou o nível do FESTA 53, nos deixando reflexões e sugestões para que no próximo possamos melhorar ainda mais a recepção aos nossos selecionados. Muito Obrigado!
Platão Capurro Filho
Coordenador da Mostra Adulta de Teatro. - FESTA 53

Marcelo Flecha disse...

Platão, querido! Você foi nosso norte durante todo o festival, nós é que agradecemos, a você e ao FESTA pela generosidade!

XICO CRUZ disse...

Já passei por isso amigo, na época de Fando e Lis... Tenso!!!
Vi e ouvi coisas tão estranhas, como por exemplo "por que esse negoço é pintado dessa cor e não dessa?"
AAAAAA vá se a porra, pintei de azul porque quero azul kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Flavia Teixeira disse...

"No mais, a pequena continua se divertindo com o seu fazer e a experiência é sempre positiva. Como sempre, rimos muito!"
Isso é que importa!!
Viva!!!!!!