domingo, 16 de janeiro de 2011

A estética do feio – primeiras impressões

.
.
O belo é esteticamente óbvio. Adoro o feio. O assimétrico. Toda forma disforme é absolutamente perfeita na sua desordem caótica. O feio instiga com maior vigor do que a passividade do belo. O feio acorda. O belo adormece. Somos conduzidos a ver de maneira padronizada. Nosso olhar viciado é escravo da simetria, da perfeição. Imperfeito. Feio é o que se é. O que somos. Como somos. Cromossomos. Nossa feiúra brilha quando não é camuflada com a maquiagem opaca do belo. Quando a cortina se abre, beleza demais enjoa – a cortina se fecha e o feio ainda pede reflexões. O trabalho da pequena favorece a aceitação do feio e não cai no equívoco de tentar torná-lo belo. Falo do feio como adjetivo positivo: a estética do feio substituindo a cosmética do belo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Realmente, o belo não é interessante como o feio. O feio que é bonito! Eu só vim perceber isto depois de adulta - tornei-me adulta só após os 30. E fico muito feliz que você vê isto, pois quando eu não tinha maturidade o belo/bonito/lindo que era cultuado.


Valeu, Marcelo, torço por vocês.
Grande abraço!

Cassandra Botelho

Marcelo Flecha disse...

Como diria o poeta: "entre o belo e o feio está o espelho"
Beijos e apareça!

hamilton disse...

Mais erosão! Menos granito.

Elizandra disse...

Querido,Sou apaixonada pelo feio. Ele foje ao óbvio,passa longe do trivial.E geralmente é DIFERENTE!As vezes escuto assim "Sua beleza é diferente",na verdade essas pessoas querem dizer "Sua beleza é Feia! Rsrs!".Eu adoro! Beijos!